Com um exclusivo processo que resgata a tradicional moagem na pedra,

o produto garante o sabor, aroma e nutrientes dos melhores trigos da Itália

Reconhecida no mercado de alimentação e por diversos chefs de cozinha pelo mundo como produto de excelente qualidade, a farinha Petra chega oficialmente ao Brasil no Petra Fuori Salone, no dia 05 de junho, antecipando a abertura da Fispal Food Service 2017.

O principal diferencial dessa farinha em relação às diversas comercializadas no País é seu rigoroso processo de produção. Destaca-se a utilização da moagem em pedra que garante uma farinha refinada mantendo os nutrientes naturais do trigo.

“Esse processo, que resgata uma tradição de séculos, faz o sabor e aroma da massa ser completamente diferente da farinha comumente comercializada”, afirma o embaixador da Petra no Brasil, Gianluigi Tosches, que é consultor gastronômico de diversos restaurantes.

Explicando melhor: enquanto uma moagem em cilindros industriais deve ser repetida até sete vezes, o que provoca a retirada das qualidades originais do trigo, o refino feito com a pedra garante o resultado em uma só moagem.

Outro diferencial do processo adotado pela Petra é a seleção da matéria-prima. São trigos 100% italianos, originários da região do Veneto. A própria empresa certifica os grãos, não permitindo uso de pesticidas ou qualquer manipulação genética.

O processo de seleção também é o mais moderno possível. Com máquinas da empresa suíça Bhuler, sensores óticos não permitem que grãos fora do padrão entrem na moagem, selecionando-os por tamanho, cor etc.

Entre os tops

Antes mesmo de entrar oficialmente no País, a Petra já está presente nos pratos de restaurantes de primeira linha como 1900 Pizzeria, Speranza, Pizza Piola e Veridiana, que já experimentaram suas qualidades. Inclusive, o lançamento oficial da Petra contará com a presença de Erik Momo, da 1900 Pizzeria, e Francisco Tarallo, da Speranza.

Já estão sendo comercializados 20 dos produtos da linha Petra. São farinhas para pizzas, pães, bolos, doces etc. Há também versões integrais, orgânicas e sem glúten.

A entrada do produto no País só foi possível após o Molino Quaglia, produtor da farinha, encontrar um importador que entendeu a essência de seu produto. A importadora Pasta Parola criou, então, o projeto Essenza, que une a expertise de chefs de cozinha, especialistas em fornos de alto padrão e produtos de primeira linha para acompanhar como a farinha Petra.

“Temos consciência de que não basta colocar um produto desse nas prateleiras. É preciso criar condições para que ele seja aproveitado em todo o seu potencial e o nosso papel é dar essa consultoria”, afirma João Carlos Callas Fernandes, proprietário da Pasta Parola e um dos criadores do projeto Essenza.

Para o lançamento oficial na Fispal, estarão presentes o superintendente do moinho, Pietro Gabrieli e o chef de cozinha e responsável técnico da marca Giovanni Marchetto.

A Petra está presente na França, Alemanha, Suíça, Austrália e Estados Unidos, entre outros países. O Brasil foi escolhido como porta de entrada da Petra na América Latina. Conheça os diferenciais da farinha Petra

Petra Farinhas comuns
Moagem Resgata a tradicional moagem em pedra São moídas em cilindros industriais de metal
Matéria-prima Trigo 100% italiano, sem pesticidas ou modificação genética Varia de marca para marca, podendo ser transgênicos ou sem comprovação de origem
Nutrientes Mantém as vitaminas, sais minerais e proteínas originários da amêndoa de trigo Por causa do processo de moagem, perdem os nutrientes que são reinseridos por processos químicos
Torrefação Em baixas temperaturas, que mantém o sabor e aroma original do trigo Normalmente, usam-se fornos de alta temperatura, prejudicando o sabor
Teor de proteína Chega a 14,5% De 6% a 9%
Maturação da massa Necessidade de pouco fermento Necessidade de uso excessivo de fermento em alguns casos
Absorção de água Em alguns casos, chega a 1 litro de água para 1 kg de farinha – garantindo uma massa mais leve Média de absorção ente 55 e 60 mililitros de água para um 1 kg de farinha